Amplificador Valvulado versus Transistorizado

Por Ramon Domingos


Olá pessoal do Guitar Coast!! Hoje, conversaremos sobre amplificadores valvulados e transistorizados! Qual a sua opção?? 

Já trabalhei com ambos e posso dar minhas impressões. Não vou entrar a fundo nas especificações técnicas dos amplificadores, porque aqui a ideia é falar sobre o resultado final: Timbre!

Sem sombra de dúvidas, os valvulados são muito superiores! Muito mais definição e muito mais veracidade na hora de tocar.


Voltando lá trás, vamos entender como funcionam os valvulados. Antigamente, só tínhamos amplificadores valvulados. Eles eram programados para funcionar com som limpo em baixo volume. Dessa forma, o sinal passava pelo canal sem ter saturação. Porém, alguns pentelhos não conseguiam tocar baixo... E os caras aumentavam bastante os amps! O volume de saída era maior que o canal, e aí o som distorcia! 

Então a distorção é a própria saturação do canal! E dessa forma surgiu o drive. Com o tempo, as coisas foram se modernizando. Amplificadores com dois ou três canais, maior ganho de distorção, etc. De fato, o amplificador com válvulas respeita melhor seu som de guitarra. Elas fazem um trabalho importante. 

Valvulados tem melhor timbre...

Eu vejo as coisas da seguinte forma... Um valvulado não deixa sujeira nenhuma no meio do caminho. O som é 100% definido. Já os transistorizados não! Sempre fica um pouco de sujeira afetando a definição das notas. E isso implica diretamente no que você está tocando. 

Imagine uma piscina... Se a água é clara e cristalina, você pode ver o fundo da piscina com clareza, se a piscina está suja, a água turva, você não vê o fundo. É mais ou menos essa a relação... No valvulado você escuta tudo o que está tocando. E isso é muito bom! Ou não...

... Mas é preciso saber usar

Pequenos errinhos também aparecem e tomam uma dimensão muito maior... Por isso que um amplificador valvulado exige certa habilidade para controlar sua forma de tocar. Geralmente, quando o guitarrista sai de um transistorizado pra um valvulado ele sente um pouco disso. A guitarra se torna muito mais honesta. O amp transistorizado disfarça algumas coisas. Mas logo você se acostuma ao tipo de resposta do valvulado. E ele coloca seu som para frente! Tudo rola com mais definição! 

Transistorizados não deixam o som limpo distorcer

Alguns guitarristas de jazz preferem os transistorizados, para tocar com som limpo, pois há mais segurança de não distorcer o som. Claro! Existem ótimos transistorizados para isso. E dão um som sempre muito clean.

Aproveitando melhor seu valvulado

Algumas bandas ou artistas preferem amplificadores valvulados de baixa potência. Assim, conseguem abrir bem o volume. Um amp valvulado costuma, por natureza, ser extremamente alto... Então, se você tem um valvulado de 15 watts, pode ter certeza que ele funciona mais alto que um transistorizado de 100 watts! E outra... quanto mais alto, melhor! A qualidade do timbre aumenta, pois, em alto volume, as válvulas trabalham melhor! Então, às vezes, em um show mais modesto, a melhor solução é um amplificador valvulado de 15 a 25 watts, pois você consegue explorar bastante o uso das válvulas - além de carregar menos peso.


Se você usa muito canal sujo com distorções, essa dica pode te ajudar. Para sons limpos, é melhor um amplificador valvulado mais potente, pois ele vai saturar menos no canal clean dando um timbre bem mais limpo. Isso varia de acordo com o gosto e repertório de cada um. Particularmente, curto uma saturação bem discreta no meu som limpo.

Desvantagens do valvulado: cuidados extras

O valvulado requer muito mais cuidado no uso e manuseio. Você trabalha com válvulas que serão aquecidas e isso deixa seu amp muito mais sensível. Então, há muitas recomendações para que ele funcione bem e suas válvulas tenham uma vida útil satisfatória. É importante, antes de um show, deixar o amp aquecendo. Deixe-o no stand by por uns 20 minutos para ele ir aquecendo. 

Enquanto você estiver tocando, ele irá aquecer cada vez mais. Muito cuidado para não movimentá-lo muito. Procure deixar em uma posição fixa. Terminou o show, deixe ele desaquecer no stand by por alguns minutos, e depois desligue o amp. Só faça seu transporte meia hora depois de desligado, para assegurar que ele já tenha desaquecido, podendo ser manuseado sem que haja risco para as peças internas. 

O transporte sempre é um problema se você viaja muito, faz shows em lugares distantes e precisa levar o equipamento. Muito cuidado no despache! É importante ter um case bem reforçado. Já tive péssimas experiências com companhias aéreas. Se você não toca em lugares tão distantes e costuma fazer seu próprio transporte, é mais seguro, pois você sabe quanto pagou! Mas procure acomodar seu amp em um lugar que ele fique fixo sem muitos movimentos.

E lembre que válvulas possuem um prazo de validade. Com o tempo ela fica gasta e para de dar o timbre que costumava dar antigamente. Nesse ponto, é importante fazer a troca.

Conclusão: o sacrifício vale a pena

É notório que os amplificadores valvulados necessitam de maiores investimentos, cuidados e reparos, porém o som é muito melhor, principalmente com altos ganhos e volumes elevados! Os amplificadores transistorizados surgiram como uma proposta mais comercial, são muito mais baratos e não necessitam de tantos cuidados, mas em volumes mais altos, costumam perder qualidade, trazendo muito chiado e um som pouco definido afetando o desempenho em palco.

Para a minha situação, amplificadores valvulados são ideais, pois uso distorção quase 100% do tempo e gosto de uma distorção bem natural, que geralmente em amplificadores transistorizados não encontro.

Autor: Ramon Domingos

Artigo Relacionado: 

Amplificadores Valvulados (por Bernardo Versiani)

Como Comprar Guitarra e Amplificador

Do mesmo autor:


Conheça mais sobre Ramon Domingos:

Entrevista com Ramon
Guitar Tech (blog do Ramon)
Guitar Tech no Facebook
Canal do Ramon no YouTube

___________________________________________________________________




Quer aprender Modos Gregos? 

Os Modos Gregos são uma forma de solar na guitarra e no violão que permite você criar as mais diversas sonoridades, gerando sensações e emoções inexplicáveis na sua música.

Aprenda todos os segredos no Workshop de Modos Gregos. Na 1ª parte deste Workshop 100% Online e 100% Gratuito vamos ensinar os Modos Gregos desde o início, explicando o que é e como funciona esta abordagem. Na 2ª parte vamos mostrar como aplicar os Modos Gregos nos seus solos, improvisos e composições.


Bons estudos!

GuitarCoast

2 comentários:

Emiliano Gomide disse...

Sensacional, Ramon! Como sempre, várias dicas bem úteis. É só cuidar bem do amp valvulado que ele dá um timbre de outro mundo. Abs

Anônimo disse...

Uau, super bem explicadoooo