Tipos de Madeira Para Guitarra

 Por Júlio Vallim


Muitos guitarristas ficam em dúvida na hora de comprar um instrumento. Alguns escolhem apenas pela marca, captação, cor ou modelo. Porém, um elemento importante e que influencia totalmente a tocabilidade de uma guitarra é a sua estrutura de formatação, isto é, a madeira que a compõe, tanto no corpo como na escala do braço.

A seguir, vamos elucidar alguns fatores quanto a essa peça tão essencial.

Diferentes madeiras, diferentes funcionalidades

Existem diferentes tipos de madeira, e cada tipo afeta o timbre da guitarra, o sustain e a tocabilidade de uma forma diferente. Algumas madeiras são fáceis de se encontrar no mercado, outras nem tanto. Aí está um dos porquês de haver uma diferença quase bizarra nos preços dos instrumentos. 

O peso de uma guitarra também está ligado diretamente à madeira utilizada. Mas, isso não quer dizer que, por ser leve, uma guitarra tem madeira boa.

1ª Parte - Madeiras Para o Corpo da Guitarra

Ash - Esta é uma madeira dura, dando ao instrumento um som estridente, além de ser pesada. Possui um agudo muito bom - alguns acham que dá um timbre "blues" à guitarra. Foi utilizada nas Telecasters e Stratocasters de fabricação inicial. Agora, a Fender usa apenas em seus melhores modelos.


Alder - É uma madeira de som equilibrado, mais cara e menos pesada que a Ash. Também é utilizada no corpo das Fender Stratocasters atuais, por possuir uma grande densidade, ideal para esse modelo. No Brasil, temos o Marupá, madeira bem semelhante, utilizada em algumas guitarras Tagima.

 
Mogno - O mogno apresenta uma qualidade ótima nos tons baixos e médios. É utilizada nas guitarras PRS e Gibson. Pesada, porém macia, digamos que deixa o instrumento com um som muito equilibrado. Sendo uma madeira extremamente cara, as guitarras construídas com ela apresentam sempre um preço elevado em relação às outras.

 
Cedro - É muito utilizado no Brasil. Vários luthiers estruturam suas guitarras com essa madeira. É muito boa e colabora para um bom timbre no instrumento.

 
Basswood - É bastante utilizada por vários fabricantes de guitarra, pois seu preço é mais baixo. Mas isso não reduz em nada seu valor. É uma madeira de ótima qualidade para a construção de guitarras. A Ibanez a utiliza em muitos modelos. Atribui um peso agradável ao instrumento.


2ª Parte - Madeiras Para a Escala (Braço) da Guitarra

Maple - Apesar de ser mais usada para a escala, algumas guitarras são constituídas de maple também no corpo. Mas isso a torna extremamente pesada, não possibilitando perfazer o corpo inteiro. Assim, alguns instrumentos são elaborados com maple apenas como uma espécie de cobertura sobre o mogno, deixando o som das frequências altas com melhor qualidade. Dois exemplos são alguns modelos da PRS e Gibson Standard. Esta madeira de cor clara é muito densa e dura. Sendo assim, suporta bem a tensão das cordas - aí o uso ideal para a escala do braço.


Tauari Branco - Utilizada na construção de braços, é clara e leve, semelhante ao maple. Muito usada no Brasil.

 
Rosewood e Jacarandá - Madeira de cor marrom, escura, apresenta um tom avermelhado, às vezes, quase preto. É muito porosa, rica em relação à sonoridade grave e bem "esticada" nas frequências altas, contendo um médio bem encorpado. Alguns confundem com o Jacarandá, que é chamado de Brazilian Rosewood, muito superior ao Rosewood lá de fora.

 
Ébano - Madeira de muitas guitarras de primeira linha, possui cor escura e brilhosa. Soa bem em frequências, altas, baixas e médias. Não é uma madeira abundante, o que a faz ter um custo muito elevado.


Essas são as principais madeiras utilizadas e que dão grande qualidade a um instrumento. Ainda existem outros tipos de madeira, como o Pau-marfim (brasileira, similar ao maple) e Pau Ferro (não tem muita qualidade para a guitarra). Há também a Luthite, madeira muito ruim, uma espécie de MDF aglomerada e que não soa com qualidade. É utilizada em alguns modelos de segunda linha da Ibanez, a fim de deixar o custo mais baixo.

Bem, pessoal, espero que tenham gostado. É bom estudarmos tudo o que é relacionado à construção de um instrumento, pois assim podemos escolher melhor aquele que nos proporcionará uma melhor qualidade para os fins que desejamos como músicos.

Autor: Júlio Vallim

Sinta-se à vontade para deixar um comentário ou dúvida aqui embaixo.

Artigos Relacionados: 


Conheça mais sobre Júlio Vallim:



___________________________________________________________________




Quer aprender Modos Gregos? 

Os Modos Gregos são uma forma de solar na guitarra e no violão que permite você criar as mais diversas sonoridades, gerando sensações e emoções inexplicáveis na sua música.

Aprenda todos os segredos no Workshop de Modos Gregos. Na 1ª parte deste Workshop 100% Online e 100% Gratuito vamos ensinar os Modos Gregos desde o início, explicando o que é e como funciona esta abordagem. Na 2ª parte vamos mostrar como aplicar os Modos Gregos nos seus solos, improvisos e composições.


Bons estudos!

GuitarCoast

9 comentários:

PRO-LOK disse...

Gostei muito.

Emiliano Gomide disse...

Valeu, amigo! O Júlio Vallim entende muito sobre madeiras e estruturas de guitarras. Abs

Jonatas Ruschel disse...

na hora já que eu estava procurando uma guitarra. vou aproveitar esta leitura

Emiliano Gomide disse...

Legal, Jonatas! Temos também mais dois artigos que podem te ajudar na compra da sua guitarra. Eles estão indicados no final deste artigo sobre Madeiras: "Dicas Para Comprar Uma Guitarra" e "Como Comprar Guitarra e Amplificador". Espero que ajude. Abs

Evandro J.G.C. disse...

A minha (Shelter Standard California) deve ser de basswood, porque foi bem barata (R$460,00), e com a escala de jacarandá, porque é um marrom muito escuro, tá mais pra preto. E ela é um chumbo de pesada, ficar muito tempo em pé com ela dói o ombro, mas acho que é porque tenho a clavícula quebrada mesmo. Mas é muito boa, numa falta de atenção minha, já deixei ela por meses numa sacola pendurada, nem empenou nem desafinou. Ela segura muito bem a afinação.

Emiliano Gomide disse...

Boa observação, Evandro! Algumas madeiras, apesar de mais pesadas, às vezes, compensam com outras qualidades, como segurar mais a afinação, como você falou. Abs

RICARDO C. RIBERIO disse...

Gostei muito, mas gostaria de saber um pouco mais sobre o cedro

RICARDO C. RIBERIO disse...

Gostei muito, mas gostaria de saber um pouco mais sobre o cedro

Júlio Vallim disse...

Olá, Ricardo, tudo bem? fico feliz que tenhas curtido. Em relação ao Cedro, seguinte, muitos consideram essa madeira ruim para determinados estilos. Penso da seguinte forma: se você quer uma guitarra soando como uma strato Fender vintage, jamais use o cedro, ele não irá possuir o mesmo timbre de madeira que a Alder dá nas stratos vintages, entendes? mesmo pesquisando captadores e talz, o que deixa ela mais vintage é quando usamos um braço maple junto, aí sim.
O Cedro deixa um som mais abafado na guitarra, muito bom para determinados estilos de som, mais pesados e que necessitam um grave bom, mas se você utilizar um pot de volume com 560k e capacitor de .022. ela irá dar mais ganho no médio agudo.