Escalas e Campo Harmônico

Por Júlio Vallim


Escala Diatônica e Escala Maior

A Escala Diatônica é composta somente por notas naturais, e é representada aqui pela escala de Dó Maior.  A estrutura das Escalas Maiores (principal tipo de Escala Diatônica) é a seguinte:

T - T - s - T - T - T - s

T = Tom
s = semitom

Notas da Escala de Dó Maior:

C - D - E - F - G - A - B - C

A escala no braço da guitarra

As notas das escalas podem ser tocadas em qualquer instrumento musical. Na guitarra, para ficar mais fácil de encontrar essas notas, usamos desenhos prontos. Estes desenhos podem ser chamados de diversos nomes, de acordo com a preferência do professor e do aluno. Por exemplo: desenho, shapes, modelos, padrões, blocos, quadratura, etc. Todos esses nomes significam a mesma coisa. Neste artigo, vamos chamá-los de Padrões.

Um Padrão é simplesmente uma região do braço da guitarra, onde tocamos 2 ou 3 notas em cada corda. Cada padrão começa na 6a corda, partindo de uma sequência por uma a uma das notas que pertencem à escala.

Exemplo: Na escala de Dó Maior, temos 7 Padrões no braço da guitarra/violão, cada um começando por uma das 7 notas da escala. O Padrão de Mi tem as mesmas notas da escala de Dó Maior, e começa pela nota Mi na 6ª corda. Veja a tablatura abaixo, que também mostra o Padrão de Fá (também com as mesmas notas da escala de Dó Maior).

Escala de Dó Maior:

        Padrão de Mi                                              Padrão de Fá                               
E --------------------------------------0-1-3------------------------------------3-5----
B ------------------------------0-1-3------------------------------------3-5-6---------
G ----------------------0-2---------------------------------------2-4-5----------------
D -----------------0-2-3------------------------------------2-3-5----------------------
A ----------0-2-3------------------------------------ 2-3-5----------------------------
E -----0-1-3------------------------------------1-3-5----------------------------------


Padrão de C (principal Padrão da escala de Dó Maior)

E -------------------------------------------------------10-12-13---------
B --------------------------------------------10-12-13--------------------
G ------------------------------9-10-12-----------------------------------
D ---------------------9-10-12--------------------------------------------
A -------------8-10-12--------------------------------------------------
E ----8-10-12-----------------------------------------------------------


Escalas Menores

A formação das estruturas das escalas menores dá-se da seguinte maneira:

T - s - T - T- s - T- T

T = Tom
s = semitom

Escala de Dó Menor : C - D - Eb - F - G - Ab - Bb - C

Existem três tipos de escalas menores: Escala Menor Natural (esta acima); Melódica; Harmônica.

Campo Harmônico

Campo Harmônico é a relação das notas de uma escala com os acordes de determinado tom.

Por exemplo: para sabermos os acordes do campo harmônico de Dó Maior, devemos relacionar os acordes de cada grau da escala que possuem as notas correspondentes à escala de Dó Maior.

Notas da escala de Dó Maior: C - D - E - F - G - A - B - C


Pegando os acordes de cada grau que possuem somente notas naturais, temos:


Harmonia

Para uma estrutura simples de harmonia temos os seguintes acordes: I - V - IV - VI

I - TÔNICA OU FUNDAMENTAL
V - DOMINANTE
IV - SUBDOMINANTE
VI - RELATIVO

A partir disto, podemos realizar diversos arranjos para um tom. O mesmo vale para qualquer outro campo harmônico.

Veja abaixo um exemplo de progressão simples em arranjo para o Campo Harmônico de Dó Maior:

/ C / G / F / Am /, respectivamente graus I - V - IV - VI. Ou seja: Tônica, Dominante, Subdominante e Relativo. Tente também criar suas próprias progressões e arranjos para os campos harmônicos.

Progressão Harmônica

Há uma diferença entre um acorde maior e um menor. Os músicos e estudantes de música, quando tentam expressar em palavras tal diferença, costumam dizer que o som dos acordes maiores são mais alegres, enquanto os acordes menores são mais tristes. Dessa forma, músicas com motivos tristes, tendem a ser construídas em acordes menores e vice-versa.

Este tipo de sentimento, que é normalmente gerado por diferentes acordes, é também utilizado na construção de padrões sequenciais denominados progressões.

Pegue, por exemplo, uma sequência de acordes qualquer de uma música, o padrão I-IV-V-I (C-F-G-C). Isto é uma progressão de acordes. Se essa sequência for tocada várias vezes consecutivas, experimentando diferentes ritmos e batidas será possível observar que todos os acordes se encaixam perfeitamente. Há um apelo entre os acordes, um acorde criando uma tensão maior ou menor. Este "apelo" é comumente denominado de tensão, ou seja, certos acordes conduzem a uma tensão crescente, acumulando tensão.

Quando se volta ao Dó (Tônica), esta tensão é liberada. É possível perceber, ouvindo a algumas músicas, essa tensão se acumulando em determinados trechos, até atingir um clímax (com certa frequência, a parte mais alta), para ser em seguida liberada. Esta progressão tomada como exemplo, que é uma das mais comuns nos dias atuais, é denominada de progressão I-IV-V, (aquela citada no exemplo acima) e tem justamente estas características de acúmulo de tensão e posterior liberação.

Ela é denominada I-IV-V porque é composta dos acordes de número I-IV-V de uma escala musical, neste caso a de Dó Maior.

Na escala de D, por exemplo, ela teria a seguinte formação: D-G-A-D.

Outras Progressões Harmônicas

Uma outra progressão bastante comum é a I-III-IV. Que na escala de Dó Maior resultaria em C-E-F. Ou, na escala de Mi Maior, por exemplo, E-G#-A. Experimente com esta progressão em diferentes escalas e com diferentes batidas.

A progressão de blues também é algo muito importante e deve ser estudada. Um grande número de canções baseia-se em progressões típicas e relativamente fáceis de serem aprendidas, através das quais é possível "tirar" músicas e "levar" outras sem conhecer sua composição.

Faça sua própria música

As progressões constituem-se apenas numa base que permite inúmeras variações, e não em regras fixas. Os grandes músicos são justamente aqueles que, de certa forma, desrespeitam estas progressões sem quebrar a harmonia do conjunto musical, ou seja, a tensão é acumulada e quebrada através de uma progressão não convencional de acordes utilizando-se da criatividade.

Autor: Júlio Vallim

Artigo Relacionado:


Você tem alguma dúvida sobre Escalas e Campo Harmônico? Deixe um comentário aqui pra gente!

Do mesmo autor:


Conheça mais sobre Júlio Vallim:

___________________________________________________________________




Quer aprender Modos Gregos? 

Os Modos Gregos são uma forma de solar na guitarra e no violão que permite você criar as mais diversas sonoridades, gerando sensações e emoções inexplicáveis na sua música.

Aprenda todos os segredos no Workshop de Modos Gregos. Na 1ª parte deste Workshop 100% Online e 100% Gratuito vamos ensinar os Modos Gregos desde o início, explicando o que é e como funciona esta abordagem. Na 2ª parte vamos mostrar como aplicar os Modos Gregos nos seus solos, improvisos e composições.


Bons estudos!

GuitarCoast

2 comentários:

Jairo Ramos disse...

Eu não entendi direito o campo armonico

Emiliano Gomide disse...

Oi Jairo,

O Campo Harmônico é um conjunto de acordes, falando de forma simples. Eles são relacionados entre si, pois possuem as notas da mesma escala. Por exemplo, todos os acordes do campo harmônico de Lá Maior possuem notas da escala de Lá Maior. É importante aprender campos harmônicos para ter uma noção melhor sobre a relação entre os acordes e, dessa forma, poder criar músicas com harmonia entre suas partes. Se tiver outras dúvidas, é só falar por aqui oe pelo email contato@guitarcoast.com