Problemas de Afinação na Guitarra e Violão

Por Ramon Domingos

Olá, Galera do Guitar Coast!! Como vão todos vocês??

Durante algumas conversas com o Emiliano, ele sugeriu tratarmos de um tema que não existe: a afinação perfeita na guitarra e no violão! Não iremos falar de fantasmas ou marcianos, fiquem tranquilos. Mas, realmente, isso é algo que não existe!

A afinação que temos na guitarra e no violão não é algo altamente preciso. Não é mesmo. Outros instrumentos conseguem ter uma afinação bem mais precisa, como o piano, por exemplo. Porém, muitos guitarristas não possuem essa noção, e acabam tocando desafinados sem saber. Logicamente, isso é muito ruim.

Não estou dizendo que a guitarra é um instrumento que não consegue ter afinação, e que está sempre desafinada. A guitarra se afina sim, porém, dentro de um conceito de afinação para instrumentos de cordas. E precisamos ter certos cuidados, como veremos a seguir.

Como afinar

Precisamos saber quais as principais maneiras que temos de afinar nosso instrumento.

1 - Afinando pelo ouvido

Possuímos, basicamente, três maneiras. A primeira é pelo ouvido! Você deve saber de ouvido o som de pelo menos uma das cordas, de preferência da Mi (grave), pois aí você pode afinar as outras cordas através dela. É muito simples, basta pressionar a nota da casa 5 e afinar a corda que está abaixo, ambas são a mesma nota, e assim você vai fazendo com todas as cordas. Apenas a corda Si (2ª corda de baixo pra cima) que é diferente, para afiná-la, devemos tocar a casa 4 da corda sol (3ª corda) para termos as mesmas notas!
2 - Afinando com diapasão
Podemos afinar as cordas com um diapasão, que é um aparelho que emite o som das cordas na determinada frequência e você, através do ouvido, vai verificando se a corda está igual ao som do diapasão.

Afinando com diapasão

3 - Afinando com afinador eletrônico

Ou, a maneira mais prática, que é o uso de um afinador! Basicamente, hoje em dia, é a preferência da maioria, pois você pode afinar seu instrumento de maneira rápida e precisa!


O afinador eletrônico é muito bom para shows ao vivo, onde a afinação de ouvido é bem inviável. E é muito bom também para gravações, pois ele consegue calcular a frequência da nota e indicar com boa exatidão o quão afinado está seu som.

Tipos de afinadores eletrônicos

Atualmente, temos vários exemplos de afinadores eletrônicos. É possível baixar em celulares e computadores e usá-los de forma gratuita. Há alguns modelos conectáveis na guitarra, e afinadores de clip (imagem abaixo). Geralmente, são bem legais por serem práticos, pequenos e portáteis.

  Afinador de clip
.
Também é possível afinar seu instrumento usando um pedal de afinação em seu pedal board. Todas as maneiras são bem viáveis. Costumo usar um bom pedal de afinação no meu board, aí posso afinar rapidamente, sem interferir no desenrolar do show. Não gosto muito de afinadores de celulares e computadores, geralmente eles não conseguem calcular com exatidão as frequências graves.

Como você influencia na afinação do seu instrumento

Vamos falar um pouco da sua relação com o instrumento e como você pode interferir (negativamente) na afinação. Existem alguns conceitos que também fazem o músico responsável pelo som que tira de seu instrumento. Você verá que nosso papel como guitarristas e violonistas vai além de tocar as músicas corretamente.

Afine suas técnicas: Bends e Vibratos

Algumas técnicas simples, que, às vezes, não damos a devida importância podem prejudicar nossa afinação... A principal delas... O bend!

Bend é uma elevação da nota, conduzida através do movimento exercido pelo músico em uma determinada nota, "esticando-a" para cima ou para baixo. O bend pode ser de meio tom, um tom, um tom e meio, dois tons, enfim... São esses os bends mais comuns na guitarra. E é aí que está a dificuldade. Através desse movimento precisamos chegar na nota desejada, com uma afinação exata. Se não, você estará soando desafinado, ainda mais em um bend, que é uma nota longa, que se destaca pela alteração da frequência!

Muito cuidado... não existe um quase bend, ou um bend que quase chegou na afinação, existe o bend exato e afinado e existe o bend desafinado, um mi só é um mi, quando ele atinge exatamente sua frequência, menos ou mais que isso não é um mi! É uma nota desafinada!! Então estude o bend até a exaustão! Sempre se policie com isso para garantir sua afinação!

Vibrato é um bend mais discreto que fica oscilando na afinação, geralmente um leve bend de um quarto de tom, podemos assim definir. Muito cuidado também para ficar dentro de um limite de oscilação, lembre-se que você está manipulando a nota, desafinando-a e afinando, cuidado com esse movimento!

Erros sutis na técnica

Atente-se em relação aos seus movimentos. Técnicas sutis como ligados e slide, até mesmo sua digitação (a maneira que você aperta as notas) também pode gerar desafinações super discretas, às vezes, quase imperceptíveis, mas elas estão lá! Preste bem a atenção se seus movimentos, se suas técnicas ou digitações não estão interferindo de alguma maneira na sua afinação. Por exemplo, um erro é apertar as notas com muita força, pois isso faz com ela  "afunde" entre os trastes, gerando uma desafinação indesejada (como se fosse um mini bend).

Acordes

Um acorde é um composto de notas que juntas soam harmoniosamente dando a afinação e a sonoridade de um devido acorde.

A ideia é a seguinte... Quando temos notas soando em harmonia, nossa preocupação tem que ser dobrada, a desafinação aparece mais quando temos notas soando em conjunto, pois uma pode conflitar com a outra.

Façamos assim... Monte aí na sua guitarra ou violão um acorde de sol maior... Atente-se a duas coisas básicas... Se a posição dos dedos não interfere na afinação de alguma corda, da forma que mencionamos anteriormente e se a forma como você toca as cordas com a palheta não gera uma desafinação... Esse segundo caso é muito comum em Floyd Rose.

Desafinações em pontes Floyd Rose

Falando em Floyd Rose, lá vai! Quando começa esse assunto, já pede mais um choop porque é assunto pra madrugada inteira!

Brincadeiras a parte, em relação à Floyd Rose, temos que sempre redobrar os cuidados, então tudo que conversamos até aqui, se você tem uma guitarra com Floyd Rose, redobre os cuidados!

Falamos muito disso no artigo anterior sobre Pontes Flutuantes Floyd Rose, espero que vocês tenham lido! Caso contrário uma rápida definição... O Floyd Rose, ou ponte flutuante é uma ponte que te permite um recurso muito legal que é o movimento da alavanca tanto para cima quanto para baixo, e também, por outro lado, uma série de dores de cabeça! Por permitir esse movimento podemos entender que esse sistema se trata de um sistema realmente flutuante, equilibrado entre as tensões das suas cordas e as molas presentes na parte interna da guitarra.

Logo, a afinação nesse tipo de guitarra é uma coisa muito delicada, repare... Ao dar um bend a ponte mexe! Se você tocar os acordes com uma pegada mais forte, ela mexe. Se você apoiar sua mão na ponte, ela pode mexer, gerando certa desafinação! Veja quantos detalhes, temos que estar atentos a tudo isso.

Tocar com Floyd Rose é a mesma coisa que andar em um chão molhado usando muletas! Estabilidade Zero!! E você não pode cair! Por isso que muita gente torce o nariz para esse tipo de ponte!

Soluções para a desafinação

Ok. Já entendemos alguns conceitos que temos que estar atentos para minimizar a desafinação de acordo com a ação humana. Agora, vamos falar de alguns mecanismos que existem para solucionar ou minimizar a desafinação. Lembrando que nada disso que iremos falar a frente será efetivo se você ignorar o que conversamos anteriormente... A ação humana é extremamente importante na afinação.

Buzz Feiten e trastes tortos

Buzz Feiten, um guitarrista alemão que passou anos de sua carreira acompanhando pianistas, não demorou a perceber que eles são mais afinados que nós guitarristas. Também não demorou muito para ele propor uma solução!

Ele começou a estudar e tentar entender por que isso ocorria e também passou a procurar uma solução fácil, eficaz e acessível!

Ele concluiu que a nota dó da corda lá na casa três está lá, mas o lugar que ela é traçada talvez não seja a localização mais precisa possível, não só ela como todas as outras... Apenas, tomei essa como um exemplo. Ele concluiu que as notas não são exatamente distribuídas e suas frequências exatas podem não estar onde foram colocados os trastes!

Algum de vocês já viu aquelas guitarras com trastes tortos? Aquilo se chama 'True Temperament", o Steve Vai tem uma! O guitarrista do Stratovarius e do Freak Kitchen também usam. Esse modelo de guitarra possui os trastes tortos para que seja possível conseguir a exata frequência de cada nota. Esse é um excelente mecanismo para se corrigir a desafinação, porém extremamente caro!

 
O sistema de Buzz Feiten visa corrigir o mesmo problema, mas Buzz Feiten queria algo mais acessível. Então, continuou estudando até que chegou à outra solução. O Sistema Buzz Feiten de afinação consiste em deslocar menos de um milímetro o nut* da sua guitarra para frente (em direção à ponte). Assim, é permitido uma regulagem independente dos carrinhos na sua ponte, chegando a uma afinação mais adequada. O deslocamento do nut permite uma amplitude maior na hora de trabalhar o ajuste das frequências, e a regulagem nos carrinho é feita de forma independente, possibilitando encontrar a nota exata de cada corda!

* Nut é aquele peça reta que fica na extremidade das cordas da guitarra ou violão, entre o 1º traste e as tarraxas de afinação (veja a imagem abaixo).

Para esse tipo de sistema, é aconselhado o uso de um afinador Stroube, pois esse afinador consegue ser mais sensível no cálculo das frequências. Caso você não tenha um afinador desse, deve se afinar as cordas através da nota mi de cada corda.

Afinação é uma questão de exatidão

É importante lembrar que uma nota musical, seja ela qual for, desafinada ou afinada, é uma frequência matematicamente calculável, e dessa maneira chegamos na afinação exata, sempre buscando a frequência da nota que estamos propostos a afinar nosso instrumento.

Há um padrão universal de afinação para todos os instrumentos que é 440 Hz, porém tem gente que afina em 442 Hz. O Pink Floyd já gravou alguns álbuns usando afinações diferentes desse padrão.

Ou seja, é importante que todos os instrumentos estejam configurados em uma frequência em comum, seja ela qual for.

Uma curiosidade...

Antes da II Guerra Mundial o padrão de afinação era o Lá 432 Hz. Se você pesquisar na internet, achará alguns registros de peças musicais gravadas em 432 Hz. Nessa configuração, a música, em qualquer estilo, soa mais tranquila e nos remete à paz e suavidade. Porém, o regime nazista, durante a segunda guerra mundial, ordenou que tal padrão de afinação fosse mudado para 440 Hz, pois essa frequência, de forma bem sutil, afeta o comportamento humano social, incitando as pessoas à violência e indiferenças sociais. E é esse padrão até hoje! Será que vivemos em um mundo tão caótico devido a tal fato? Intrigante...

Um mundo de afinações

De fato, as sonoridades e afinações interferem muito sobre aquilo que estamos querendo expor em nossas músicas. Além da afinação padrão, há uma série de outras afinações: abertas, “dropadas”, guitarras de sete cordas, oito cordas... Tudo é possível de se manipular na guitarra para chegar a sonoridades exóticas. E tudo gira em torno da questão da afinação. Então, esteja sempre se policiando em relação a isso. É muito importante conseguir tirar um som limpo e claro do seu instrumento. Existem maneiras de estabelecer melhor sua afinação, mas lembrando que nada disso funciona se não nos atentarmos para a nossa própria forma de tocar.

Autor: Ramon Domingos

Gostou do artigo? Deixe seu comentário aqui pra gente!

Do mesmo autor:

Conheça mais sobre Ramon Domingos:

Entrevista com Ramon
Guitar Tech (blog do Ramon)
Guitar Tech no Facebook
Canal do Ramon no YouTube

___________________________________________________________________




Quer aprender Modos Gregos? 

Os Modos Gregos são uma forma de solar na guitarra e no violão que permite você criar as mais diversas sonoridades, gerando sensações e emoções inexplicáveis na sua música.

Aprenda todos os segredos no Workshop de Modos Gregos. Na 1ª parte deste Workshop 100% Online e 100% Gratuito vamos ensinar os Modos Gregos desde o início, explicando o que é e como funciona esta abordagem. Na 2ª parte vamos mostrar como aplicar os Modos Gregos nos seus solos, improvisos e composições.


Bons estudos!

GuitarCoast

3 comentários:

Emiliano Gomide disse...

Lembrando que trastes gastos podem atrapalhar nos seus bends e vibratos também, consequentemente dificultando a afinação dessas técnicas. É importante levar a guitarra para um luthier nivelar os trastes de tempos em tempos. Valeu pelo artigo Ramon! Muito top!

Ramon Domingos disse...

mto bem lembrado meu caro!!!! como estavamos conversando via email também... questão dos carrinhos e afinação da segunda oitava... as vezes a galera toca um dozão na casa 3 e acha q a guitarra ta lindamente afinada, qdo vc vai ver na segunda oitava a coisa está feia... já peguei guitarra de alunos com quase 1 tom de diferença...

Ítalo disse...

Muito boa a matéria!